REGULAMENTOS

- Turismo e Termalismo -

    Traje:

Artigo 1º    Artigo 2º    Artigo 3º    Artigo 4º    Artigo 5º    Fitas

 

O traje académico é um símbolo do academismo que nos eleva espiritualmente tanto em situações de Praxe como em situações solenes, devendo pois ser usado com o maior respeito.

 É usado pela primeira vez na noite da Nobre Serenata, primeira actividade da Semana Académica.  No largo da Sé, os "caloiros" deveram estar trajados com o capote vestido mas não abotoado, para se realizar a inspecção do traje e para a "Dobra da aba do Capote".

  A partir das 22h a comissão reguladora do traje irá em patrulha verificar e apontar aos "caloiros" possíveis falhas que possam surgir no seu Traje Académico. Depois da inspecção os (as) Padrinhos (Madrinhas) irão dobrar a aba do capote, prendendo esta com o pin do IPP, de forma a tapar os futuros emblemas.

  Durante toda a Serenata o Capote terá de estar abotoado até ao cimo, último botão, de modo que a camisa não fique visível, bem como com os emblemas tapados como foi referido anteriormente. Nenhum Veterano poderá usar o Traje, sem que antes o tenha feito na Nobre Serenata.

  A actuação do grupo de Serenatas de Portalegre na noite da Nobre Serenata tem início às 24h, hora a que todos os "caloiros" deverão já estar sentados no largo da Sé. devidamente trajados. Ao longo da serenata não há aplausos, apenas no fim desta.

 

ARTIGO 1º

1.1 - Os caloiros só poderão usar o traje académico depois do Enterro do "caloiro" na Semana Académica.

a) Constitui excepção ao ponto 1.1, os "caloiros" que se encontrem em representação oficiais do IPP, Associações de Estudantes (caso membro) ou membro do Grupo Académico Serenatas de Portalegre; 

b) Não é permitido o uso de qualquer emblema no capote durante o período de caloiro, assim como o uso de chapéu e pins no jaquetão ou casaco; 

c) Durante o período de "Pastrano" (estatuto do estudante entre o Enterro do "caloiro" e a realização da 2ª matrícula) os mesmos só serão autorizados a usar os seguintes símbolos: IPP e Escola onde estuda. Será também vetado aos "Pastranos" o uso de fitas ou do adorno permitido no capote.

TOPO

 

ARTIGO 2º

 2.1 - O Traje Académico masculino é composto por: 

            a) Calça preta sem dobra, com duas pinças; 

            b) Camisa branca lisa, sem botões de punho (gémeos) e sem botões de gola; 

            c) Gravata preta lisa. É proibido o uso de alfinetes ou colheres na gravata;

            d) Colete preto

e) Jaquetão preto, com número ímpar de botões pretos (6 por fora e 1 por dentro) e 3 botões pretos nas mangas e os bolsos metidos com paleta; 

            f) Meias pretas; 

            g) Capote de estudante preto (capote alentejano, mas com gola de tecido), com o comprimento de dois dedos abaixo do tornozelo ou pelo tornozelo no máximo com a altura da segunda aba a quatro dedos do pulso; 

h) Sapatos pretos do tipo sola, sem adornos, com atacadores e com número ímpar de casas (3 ou 5); 

            i) Chapéu preto típico Alentejano de aba direita e copa redonda (facultativo);

  

2.2 - O Traje Académico feminino é composto por: 

            a) Saia preta, com três dedos acima do joelho, com racha sobreposta atrás; 

            b) Camisa branca lisa, sem botões de punho (gémeos) e sem botões de gola; 

            c) Gravata preta lisa. É proibido o uso de alfinetes ou colheres na gravata;

d) Casaco preto, com número ímpar de botões pretos (3 à frente e 3 nas mangas) e os bolsos metidos com paleta; 

e) Colete preto. O colete usa-se com todos os botões apertados, e não se pode despir quando não se tem o casaco vestido;

           f) Capote de estudante preto (capote alentejano, mas com gola de tecido), com o comprimento de dois dedos abaixo do tornozelo ou pelo tornozelo no máximo com a altura da segunda aba a quatro dedos do pulso; 

            g) Collants pretos o menos brilhante possível;

            h) Sapatos pretos, lisos sem adornos ou atacadores, com salto até 5 cm de altura; 

            i) Chapéu preto típico Alentejano de aba direita e copa redonda (facultativo); 

 

2.3 - Em relação ao Traje deverá ter-se em conta, as seguintes directrizes:

            a) Apenas se pode usar pins na lapela do casaco do lado esquerdo;

            b) Apenas se podem usar óculos de sol discretos, quando o tempo o exigir, e não é permitido o uso destes em cima da cabeça;

            c) É proibido o uso de malas ou sacos com o traje académico;

            d) Constitui excepção à alínea anterior o uso de pastas de cor preta ou pasta académica do IPP;

            e) Não é permitido o uso de pulseiras, alfinetes de gravata, anéis (excepto aliança de compromisso, casamento ou anel (...);

            f) Constitui excepção à alínea anterior brincos tais como alargadores ou piercings cujo retirar possa representar malefício à saúde do estudante. Estes terão contudo de ser de cor preta;

            g) Não é permitido usar adornos no cabelo (excepto elástico preto ou gancho preto), nem despir o casaco, nem desapertá-lo, a não ser que se use colete;

            h) As raparigas apenas poderão usar maquilhagem discreta;

            i) Não é permitido o uso de guarda chuva com o traje académico

            j) Não é permitido o uso de alfinetes ou colheres na gravata;

            k) É permitido o uso de relógio de bolso desde que não se encontre visível a sua corrente  

TOPO

 

ARTIGO 3º

3.1 - Uso do Capote

           a) Situações académicas (Recepção ao caloiro, semana do caloiro, dia académico, actuação de tunas, "jornadas", colóquios, seminários, saídas em representação do IPP): 

                 1) Capote vestido - podem abotoados todos os botões excepto o primeiro;

                 2) Capote ao ombro - coloca-se no lado esquerdo de forma a que os emblemas fiquem virados para a frente;

             b) Situações solenes (Serenata, funerais ou luto académico)

                  1) Capote vestido - todo abotoado, incluindo o primeiro botão e com os emblemas tapados. Em situação de luto académico deve dobrar-se a primeira aba para dentro do capote de modo a ocultar completamente o colarinho da camisa, no caso de se revelar necessário;

NOTA: Na missa de finalistas o capote apenas deve estar vestido e abotoado como em situações académicas  

 

3.2. Emblemas

Os emblemas são facultativos. Ao colocá-los devem-se, no entanto, cumprir as seguintes normas:

             a) Os emblemas serão colocados em coluna, apenas na metade esquerda da primeira aba do capote. A sua ordem será a seguinte: 1- IPP; 2 - Escola onde estuda, com as respectivas fitas do curso (duas se as cores do curso assim o exigirem) por cada matricula efectuada neste Instituto. No caso do aluno ter reprovado algum ano deve colocar então fitas cor de laranja vivo em substituição das da cor do seu curso; 3 - Portugal, no ombro; 4 - Cidade onde estuda; 5 - Cidade, Vila ou Aldeia onde vive que poderá ser acrescido de mais um, caso o local onde viva não coincida com o local onde nasceu;

              b) No caso da primeira aba estar completamente preenchida dever-se-ão colocar na parte interior da segunda aba do capote

              c) É expressamente proibido o uso de emblemas em qualquer outro local do capote

 

3.3.  Adornos

Todos os capotes poderão ter um tarro com cerca de 4cm, uma vez que este é um dos símbolos que representam a idade de Portalegre. No caso dos estudantes da Escola Superior Agrária de Elvas este símbolo será os Arcos da Amoreira com a mesma medida. Estes símbolos colocar-se-ão na gola do capote do lado esquerdo. Qualquer outro adorno no capote, que não os emblemas, está proibido.

 

3.4.  Rasgões a realizar no capote

"O rasgar do capote", é exclusivo dos finalistas. A família rasga o lado direito, os amigos o lado esquerdo e o(a) namorado(a), o meio. No caso do namoro acabar o estudante deverá coser o rasgão com a cor do seu curso. 

TOPO

 

ARTIGO 4º - "Caloiros Estrangeiros" ou "Saltitões"

Os caloiros com anteriores matriculas em diferentes instituições ou Institutos Superiores deverão cumprir as leis presentes neste documento, podendo no entanto envergar o traje (Calças, casaco, colete e gravata) da escola de onde provieram com a excepção do capote, que serão forçados a adquirir para o usar.  

ARTIGO 5º - Comissão Reguladora do Traje

Todos os coiros deverão acatar as decisões e conselhos dos veteranos integrantes desta comissão, sob pena de, caso não o façam, perderem o privilégio de envergar o Traje Académico.

©AEESEP 2006

TOPO

   

  Fitas:

Fita com 7 cm de largura e 90 cm de comprimento

         1 - Cada aluno oferece a fita da cor do seu curso a finalistas do seu e de outros cursos;

         2 - As fitas assinadas pelo Presidente do IPP são de cor cinzenta;

         3 - As fitas assinadas pelo Conselho Directivo da ESEP são de cor azul;

         4 - As fitas assinadas pelos professores são da cor do curso do finalista;

         5 - As fitas assinadas pela Associação de Estudantes são de cor preta;

 

Fita com 10 cm de largura e 90 cm de comprimento

        1 - O padrinho de curso oferece uma fita branca/larga ao finalista;

        2 - Os pais oferecem uma fita larga da cor do curso do filho;

©AEESEP 2006

TOPO

 

CursoTT ©2007
MELHOR VISUALIZAÇÃO A 1024x768 px
WebMaster:
Dário Toste